Saúde

Dia Nacional do Café: saiba como a bebida pode contribuir ou atrapalhar a saúde

24 maio 2024 - 09:15

Redação Em Dia ES

Share
Em média, brasileiros bebem de 3 a 4 xícaras de café por dia, o que equivale a aproximadamente 5,8 kg ao ano, segundo estudo realizado pela plataforma CupomValido
Brasil celebra Dia Nacional do Café e do Barista nesta sexta-feira. Foto: Pixabay

O dia 24 de maio é uma data importante para os amantes de café em todo o Brasil, pois é quando se comemora o Dia Nacional do Café e o Dia do Barista. Essas celebrações destacam a importância dessa bebida tão popular e a habilidade dos profissionais que a preparam.

O café é uma das principais commodities mundiais e figura entre as bebidas mais consumidas globalmente. No Brasil, ele possui grande importância econômica e é um dos principais produtos de exportação.

O Dia Nacional do Café, instituído em 2005 pela ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café), homenageia a história e a cultura do café no Brasil, o maior produtor e exportador de café do mundo.

Em média, os brasileiros bebem de 3 a 4 xícaras de café por dia, o que equivale a aproximadamente 5,8 kg ao ano, segundo estudo realizado pela plataforma CupomValido.com.br com dados da Organização Internacional do Café (OIC) e Dieese.

LEIA TAMBÉM: Produção de café na safra 2024 é estimada em 58,81 milhões de sacas

A celebração do Dia Nacional do Café também traz à tona a discussão sobre os benefícios e os efeitos da cafeína, o principal componente ativo do café.

Para se ter uma ideia, uma xícara de café expresso contém de 90 a 200 mg de cafeína, enquanto a xícara do tradicional café coado tem entre 150 e 300 mg da substância. Mesmo diante desses dados, o teor de cafeína não depende apenas do tipo de café.

Na verdade, fatores externos, como a quantidade de água utilizada, o tempo de contato da água com o café e o tipo de pó, também influenciam nesse aspecto.

A cafeína é a substância mais consumida no mundo e atua como um poderoso estimulante do sistema nervoso central (SNC), melhorando o humor, o foco e o estado de alerta.

Além disso, devido ao seu efeito estimulante, é possível melhorar o desempenho físico durante os exercícios, aumentando a frequência cardíaca e a pressão sanguínea, contribuindo para que mais sangue rico em oxigênio e nutrientes chegue mais rapidamente às células musculares. E ainda favorece o uso de gorduras como fonte de energia, economizando combustível (glicogênio) para os músculos, reduzindo a fadiga e auxiliando no desempenho.

No entanto, o consumo de cafeína não se limita apenas ao café. Ela está presente em uma variedade de produtos que fazem parte do dia a dia de muitas pessoas. Entre os principais produtos com cafeína, destacam-se:

Chá: Algumas variedades de chá, como o chá preto e o chá verde, contêm cafeína em quantidades variáveis. Esses chás são consumidos tanto por seu sabor quanto por seus efeitos estimulantes.

Refrigerantes: Muitos refrigerantes, especialmente os de cola, possuem cafeína em sua composição. Esses produtos são amplamente consumidos como bebidas refrescantes.

Energéticos: Bebidas energéticas são ricas em cafeína e são populares entre aqueles que buscam um aumento rápido de energia e atenção.

Chocolate: O cacau, ingrediente principal do chocolate, contém pequenas quantidades de cafeína. Chocolates escuros tendem a ter mais cafeína do que os chocolates ao leite.

Medicamentos: Alguns analgésicos e medicamentos para dor de cabeça contêm cafeína, pois ela pode ajudar a aumentar a eficácia dos compostos analgésicos.

“A cafeína em cápsulas, por exemplo, é um suplemento alimentar obtido através da extração da cafeína dos alimentos, o que a torna mais concentrada, sendo, portanto, mais potente do que a cafeína natural. Além disso, é absorvida rapidamente pelo organismo e fornece os efeitos estimulantes em poucos minutos após a ingestão, que podem durar até 8 horas”, afirma Edmar Mothé, CEO da rede Bio Mundo, que destaca a necessidade de um acompanhamento médico e nutricional nesses casos.

Aliado ou vilão?
A favor da bebida, o médico Rodrigo Schröder destaca que, de forma controlada, o café é um poderoso aliado a saúde:

“Em quantidades moderadas, ele pode melhorar o desempenho cognitivo, aumentar o estado de alerta e a concentração. Além disso, o café é rico em antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres no corpo, reduzindo o risco de várias doenças crônicas, como doenças cardíacas e diabetes tipo 2”.

Mais benefícios do que apenas se manter acordado – Usado para driblar o sono, o café vai além, segundo o médico, e traz vantagens até mesmo protegendo contra danos celulares.

De acordo com Rodrigo, estão entre os principais benefícios:
Melhora da função cognitiva: A cafeína pode melhorar a memória, o tempo de reação e a função cognitiva geral;

Propriedades antioxidantes: Os antioxidantes no café podem ajudar a proteger contra danos celulares;

Redução do risco de doenças: Estudos sugerem que o consumo moderado de café pode reduzir o risco de doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e certas formas de câncer;

Melhora no desempenho físico: A cafeína pode aumentar os níveis de adrenalina, preparando o corpo para esforços físicos.

Entretanto, o médico destaca que para obter os benefícios, inclusive relacionados ao aumento da energia, é necessário ter cuidado com as quantidades.

“Assim evita-se os efeitos colaterais. Recomenda-se limitar o consumo a cerca de 2-3 xícaras por dia. Além disso, evitar consumir café no final da tarde ou à noite pode ajudar a prevenir problemas de sono.”

Sem moderação, ele pode se tornar um vilão – De modo geral, os malefícios do café estão diretamente ligados aos excessos.

Segundo o Dr. Schröder, estão entre os principais efeitos colaterais:
Ansiedade e nervosismo: Altas doses de cafeína podem aumentar os níveis de ansiedade;

Distúrbios do sono: O consumo de café, especialmente à noite, pode prejudicar a qualidade do sono;

Problemas digestivos: Para algumas pessoas, o café pode causar problemas digestivos, como refluxo ácido e irritação gástrica.

Dependência de cafeína: O uso regular de grandes quantidades de cafeína pode levar à dependência, com sintomas de abstinência como dores de cabeça e irritabilidade quando o consumo é interrompido.

Substitutos para quem gosta do efeito, mas não é fã do sabor
Pesquisas já mostraram que o café está presente na casa de 98% dos brasileiros e que está entre as bebidas favoritas por aqui. Apesar disso, nem todo mundo gosta. Mas calma, ainda dá para ter os benefícios de outra forma.

Entre os principais substitutos, o médico lista o chá verde, que é rico em antioxidantes e com uma quantidade moderada de cafeína, pode melhorar a função cognitiva e a queima de gordura; o chá preto, que contém cafeína e antioxidantes que oferecem benefícios similares aos do café; a erva-mate, que contém cafeína e uma variedade de nutrientes e o matchá, uma forma de chá verde em pó, conhecida por seus altos níveis de antioxidantes e propriedades de aumento de energia.

1
0

Atualizado 28 maio 2024 - 10:52

Se você observou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, nos avise. Clique no botão ALGO ERRADO, vamos corrigi-la o mais breve possível. A equipe do EmDiaES agradece sua interação.

Comunicar erro

* Não é necessário adicionar o link da matéria, será enviado automaticamente.

A equipe do site EmDiaES agradece sua interação.