educação

Ex-bolsista da Ufes terá que devolver mais de R$ 120 mil por não concluir curso no prazo

25 out 2023 - 09:57

Redação Em Dia ES

Share
Entre os motivos alegados pelo estudante, está a greve na universidade e o falecimento de uma ex-orientadora. Decisão ainda cabe recurso
Ex-bolsista da Ufes terá que devolver mais de R$ 120 mil por não concluir curso no prazo. Foto: Divulgação/Ufes

Um ex-bolsista de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) vai ter que pagar R$ 127.111,37 por não concluir o curso no prazo estipulado.

A decisão foi tomada pelos conselheiros que compõem a 1ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES) e ainda cabe recurso.

De acordo com o documento, o processo teve início em 2021, quando a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Espírito Santo (Fapes) iniciou uma Tomada de Contas Especial para apurar os valores pagos ao ex-aluno que não concluiu o curso. O estudante iniciou a pós-graduação em setembro de 2012 e deveria se formar em julho 2016.

Contudo, o bolsista foi desligado do Programa de Pós-Graduação no dia 27 de setembro de 2016 “por insuficiência acadêmica”. No documento, consta que o estudante não cumpriu o prazo de apresentação da “Qualificação 2” e de “defesa de Tese de Doutorado”.

A fundação não foi informada sobre a conclusão, tampouco sobre a não-conclusão, das atividades do ex-bolsista na época e só soube do desligamento do estudante no dia 8 de junho de 2018.

“Em oportuno, foi informado, que o PPG em Educação da Ufes não comunicou à Fapes o desligamento do beneficiário, conforme estabelecido nas obrigações do Coordenador do Programa (item 28 do Edital e Cláusula 9ª do TO nº 671/2012). Apenas quando o ex-bolsista foi notificado é que tivemos conhecimento do desligamento, pelo próprio bolsista”, informou a decisão.

Consta no processo, relatado pelo conselheiro Carlos Ranna, que entre 2012 e 2016 o estudante recebeu 35 parcelas da bolsa, o equivalente a R$ 73.400. Este total, quando convertido para o Valor de Referência do Tesouro Estadual (VRTE) – índice usado como referência pelo estado – na época, era o equivalente a R$ 29.587,60.

No entanto, atualizando o VRTE para 2023, chega-se a R$ 127.111,37 a serem pagos pelo ex-aluno à Fapes. A este total ainda pode-se incluir juros de 1% ao mês, caso não se reconheça a boa-fé do agente e a liquidação tempestiva do débito.

Justificativa do aluno
No processo, o ex-bolsista da Ufes alegou que o atraso aconteceu por conta de greves ocorridas na universidade no período em que estudava no local. Além disso, outro motivo apontado pelo ex-aluno foi o falecimento da ex-orientadora.

Por fim, ele ainda alega que continuava no prazo para a conclusão do curso quando foi desligado do Programa de Pós-Graduação da Ufes.

Além do ressarcimento que deverá ser feito, os conselheiros que compõem a 1ª Câmara do TCE-ES reconheceram a não incidência da prescrição da pretensão punitiva e julgaram irregulares as contas do ex-aluno.

Conforme Regimento Interno da Corte de Contas, dessa decisão ainda cabe recurso.

1
0

Atualizado 10 dez 2023 - 22:59

Se você observou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, nos avise. Clique no botão ALGO ERRADO, vamos corrigi-la o mais breve possível. A equipe do EmDiaES agradece sua interação.

Comunicar erro

* Não é necessário adicionar o link da matéria, será enviado automaticamente.

A equipe do site EmDiaES agradece sua interação.